domingo, 21 de maio de 2017

What I wanna tell you about Summer Camps - YMCA and SDA camps.

Tradução para o português ao fim.


[My dear friend Kyle has a great experience with summer camps, both in the YMCA camps and at the SDA camps. He brought all his expertise to serve as a volunteer here in VejlefjordSkolen. I asked him to share his experience with summer camps with us . Alex Galindo]

By Kyle Lambert

Resultado de imagem para ymca summer camp

  Summer camp. It’s been my life for the past six summers. It’s hard to imagine spending my vacation anywhere else than surrounding by screaming gobs of sunscreen and water. In that time, I’ve worked at five different camps. Some for years, others for scarce more than a week. My first three summers were spent at a YMCA day camp, also known as “The Y”. The kids came in the morning, we did a wide variety of activities and trips during the day, and then they went home that night. We worked with kids from many different backgrounds; some rich, others poor; some bitter, others sweet.





Being the YMCA, there was an emphasis on Christian values, although we scarcely said the word “Christian”. The Y strived for an unbiased stance on religion. We catered to the beliefs of everyone there saying, “know what you believe, and follow it,” but only if we were asked questions. We weren’t allowed to preach on the job. Nonetheless, the Christian values were strong. They were broken down into four core values: caring, honesty, respect, and responsibility. A fifth core value, faith, had faded into the past as the Y took a more secular approach to religion.
The majority of my time was spent at the day-camp. But there were two weeks where I worked at Camp Child, the Y’s summer camp in my area. It was just like the movies, complete with a large pond in the middle, crazy mealtime rituals, and ridiculous campfire songs and skits. Each morning we awoke to revile and went to “devotions” where an administrative staff-member would talk about one of the core values of the Y. From there the day was a blur; activities, meals, more activities, shenanigans and then campfire. Throughout the week the campers could collect beads for enacting the core values. The core values were engrained in nearly every aspect of the experience.
Fast forward to my last summer at the day camp, in which I took a week off to work at an Adventist camp. It was very short, but gave me insight on the similarities and differences of a Christian camp vs the Y. Over the next few summers, as I worked at other SDA camps, I further learned these similarities and differences. I found that the basic structure and fundamental principles were quite similar. Both started and ended the day with devotions. Both said thanks at meals, although at the Y they thanked the cook. And both had strong values and tons of fun.

Resultado de imagem para sunset sda camp

Despite all the similarities, there was one major difference, God. At the Y, morals were king and the cornerstone of camp life. At the SDA camps, God was the king and cornerstone of camp life. On the surface, this didn’t seem to make a huge difference seeing as how similar the structures and principles were. But the longer I worked at SDA camps the more I felt the difference. Something had been missing in the past. All the ingredients were there at the Y, but the cake need to be baked. And the spiritual emphasis gave a stronger sense of purpose. God’s presence could be felt, and the impact seen. The spiritual highs were like the cherry on top, they made it near-perfect.

Don’t get me wrong, the Y is a great place. I saw kids grow, mend, and mature under the core values. But in the end, I have experienced the need for God in our morals. They can stand only so long on their own. Morals alone don’t hold the same weight without God. They are half-baked.


Acampamentos de Verão nos Estados Unidos da América

Acampamentos de verão. Foi a minha vida nos últimos seis verões. É difícil imaginar passar minhas férias em outro lugar do que cercado por gritos, protetor solar e água. Naquele tempo, eu trabalhei em cinco acampamentos diferentes. Alguns por anos, outros por pouco mais de uma semana. Meus primeiros três verões foram gastos em um acampamento do YMCA (Associação Cristã de Moços), também conhecido como "The Y". As crianças vinham pela manhã, nós fazíamos uma grande variedade de atividades e viagens durante o dia, e então eles voltavam para casa naquela noite. Trabalhamos com crianças de diferentes origens; Alguns ricos, outros pobres; Alguns amargos, outros doces.

Sendo a Associação Cristã de Moços, havia uma ênfase nos valores cristãos, embora dificilmente disséssemos a palavra "cristão". O Y esforça-se para ter uma postura imparcial sobre religião. Nós servimos às crenças de todos lá dizendo, "Saiba o que você acredita, e segue-o," mas somente se nós fizerem perguntas. Não somos autorizados a pregar no trabalho. No entanto, os valores cristãos eram fortes. Eles foram divididos em quatro valores fundamentais: cuidado, honestidade, respeito e responsabilidade. Um quinto valor fundamental, a fé, havia se desvanecido no passado à medida que o Y tomava uma abordagem mais secular da religião.

A maior parte do meu tempo foi gasto no acampamento de um dia. Mas havia duas semanas onde eu trabalhava no Camp Child, o acampamento de verão da Y em minha área. Era como nos filmes, com uma grande lagoa no meio, rituais loucos de refeições e canções ridículas de fogueira, e peças. Todas as manhãs, acordávamos para criticar e íamos às "devoções", onde um membro da equipe falava sobre um dos valores centrais do Y. A partir daí, o dia era um borrão; Atividades, refeições, mais atividades, brincadeiras e, em seguida, fogueira. Ao longo da semana, os acampantes podiam coletar lições para adotar os valores centrais. Os valores centrais foram gravados em quase todos os aspectos da experiência.

Avanço rápido para o meu último verão no acampamento dia, em que eu tirei uma semana de folga para trabalhar em um acampamento adventista. Foi muito curto, mas me deu uma visão sobre as semelhanças e diferenças de um acampamento cristão em relação ao Y. Durante os próximos verões, como eu trabalhei em outros campos da IASD, eu aprendi ainda essas semelhanças e diferenças. Descobri que a estrutura básica e os princípios fundamentais eram bastante semelhantes. Ambos começaram e terminaram o dia com devoções. Ambos davam graças às refeições, embora no Y eles agradeciam ao cozinheiro. E ambos tinham valores fortes e muita diversão.

Apesar de todas as semelhanças, havia uma grande diferença: Deus. Na Y, a moral era o rei e a pedra angular da vida do acampamento. Nos acampamentos da IASD, Deus era o rei e pedra angular da vida de acampamento. Na superfície, isto não parece fazer uma diferença enorme vendo quão similar as estruturas e os princípios eram. Mas quanto mais eu trabalhava em acampamentos da IASD, mais eu sentia a diferença. Algo estava faltando no passado. Todos os ingredientes foram no Y, mas o bolo precisam ser assados. E a ênfase espiritual deu um sentido mais forte de propósito. A presença de Deus podia ser sentida, e o impacto visto. As máximas espirituais eram como a cereja no topo, eles o tornavam quase perfeito.

Não me interpretem mal, o Y é um ótimo lugar. Eu vi as crianças crescerem, evoluírem e amadurecer sob os valores centrais. Mas, no final, experimentei a necessidade de Deus em nossa moral. Elas podem permanecer por um longo tempo apenas por si mesmas. A moral sozinha não têm o mesmo peso sem Deus. Elas estão como bolos meio assados.