sábado, 16 de abril de 2016

Duas abóboras em cada braço.



Meus amigos, peço desculpas pela longa ausência. Não é sem motivo. Desde que se tornou permitido que alunos de teologia fizessem um segundo curso ao mesmo tempo estou cursando no período da noite o curso de pedagogia. Como já relatei aqui outra vezes, sempre foi meu desejo seguir na área de educação e agora estou a fazer os dois cursos, o último ano da teologia e o primeiro da pedagogia. Não sei se concluirei a pedagogia aqui mesmo no UNASP. É mais provável que eu termine num outro momento (ou, se Deus permitir, seguir para um mestrado), mas aproveitarei o ano que me resta aqui (e o desconto de 70% do segundo curso) para fazer tudo o que me for possível.

Além disso, no último ano de teologia para a conclusão de curso os estudantes tem as opções de fazer uma monografia ou um portfólio com os relatos sobre a experiência do estágio pastoral de quarto ano. A exigência para se fazer monografia é que você tenha uma media geral acima de 8 e encontre um professor disposto a te orientar.



Optei por fazer monografia. Escolhi meu orientar tanto por afinidade de personalidade quanto pela tremenda admiração que tenho pelo professor Milton Torres. É um dos homens mais inteligentes que conheço. É de uma inteligência fora do comum e de uma personalidade ímpar. Ele não é unanimidade. Aliás, essa palavra definitivamente não o define. Ele é o tipo de pessoa honesta e corajosa pra dizer o que pensa, sem levar as coisas para o lado pessoal. Ele é extremamente competente e eficiente. Nunca demorou mais que algumas horas para me responder qualquer e-mail. Ele coordena dois cursos no UNASP (Letras e Tradutor Intérprete), leciona, orienta vários TCCs, é frequentemente convidado para compor a banca das melhores universidades do nosso país e ainda assim tem uma agenda sempre disponível. Eu de verdade queria saber qual o segredo dele pra dar conta de tanta coisa e ser tão eficiente.

Tive a felicidade de ser aceito como orientando dele. A área principal do professor Milton é, obviamente, línguas. Ele também é doutor em arqueologia. Mas ao explicar meus interesses ele mesmo propôs o tema da tese. Como sou analista de sistema, teologando interessado na área de educação ele me sugeriu: A hiper conectividade e o ensino religioso. Perfeito!

Outra coisa que me impressionou é a quantidade de área que o professor Milton domina. Ele me passou uma série com 11 dos principais livros do assunto para iniciarmos a síntese da bibliografia básica para então elaborarmos o projeto. Livros estes que ele já conhecia muitos deles.
E nos próximos textos eu pretendo escrever sobre as coisas mais interessantes que tenho aprendido nessas leituras e reflexões que elas geraram.

Mas é devido à tremenda carga de trabalho de ambas as faculdades, tcc,  o estágio na comunidade YES em sp que eu tanto amo, e tantas outras coisas que eu invento de fazer é que eu um pouco ausente aqui.

Ao me ver querendo fazer tudo ao mesmo tempo meu amigo albanês me ensinou um provérbio do seu país:

Aléxi, um homem não pode carregar suas abóboras em cada braço.”

Que a Graça de Jesus me capacite a dar conta de tantos prazerosos desafios.