domingo, 18 de setembro de 2016

Ministering as a Pastor in Europe - Ministrando como Pastor na Europa

Tradução ao fim do texto

[While I was on Greece I had the privilege to know pastor Kim and his lovely family. Actually I only could go to Kalamos camp because of him who answered my e-mails and indicated me the way. I had some very interesting conversation with him about the ministry, education, seminaries, and I asked him to write me about his experience as a pastor in Europe. This text has been a inspiration for me who has seen myself the European faith scenario. Hope this text will blessing for you too.
Text first in english and then the translation to portuguese.  If you enjoy it, like our page on facebook: 

Enquanto eu estava na Grécia, tive o privilégio de conhecer o pastor Kim e suas adorável família. Na verdade eu só fui pra Kálamos porque ele respondeu meus emails e me indicou as pessoas com quem falar. Eu tive algumas conversas muito interessantes com ele sobre o ministério, educação, seminários, e eu pedi a ele que escrevesse sobre a suas experiência na Europa. Esse texto tem sido uma inspiração pra mim que tenho eu mesmo visto o cenário espiritual da Europa. Espero que esse texto seja uma benção pra você também. Mande esse texto para aquele seu amigo que quer ser missionário ou pastor na Europa.  Se você gostar, curta a nossa página no facebook: https://www.facebook.com/teololife

Alex Galindo]



Ministering as a Pastor in Europe - Ministrando como Pastor na Europa
by Kim Papaioannou

            My name is Kim. Though in the Americas Kim might be mostly a female name, in Europe it is usually a male name. I have served as a pastor for 14 years in three different countries in Europe, Greece, the United Kingdom, and now Cyprus. In between pastoring assignments I earned a PhD in theology and also taught theology at tertiary level.

            What is it like being a pastor in Europe?  Pastors in Europe generally are assigned fewer congregations than their counterparts in other parts of the world. Whereas a pastor in Latin America may have five or more congregations, and one in Africa, ten or more, a pastor in Europe will usually have one or two (depending on the size of the congregations) and rarely more than three. And whereas a pastor in Latin America may be responsible for the oversight of 500 or 1,000 members, a European counterpart will usually have less than 200, and often less than one hundred.

domingo, 28 de agosto de 2016

The next last generation - A próxima última geração




[Mensagem publicada pelo meu querido pastor Tiago Rodrigues, que foi meu pastor nos tempos de UNASP-EC. Pedi licença para traduzir o texto. Primeiro em inglês e o texto original em português na sequência.]

[Message from my dear pastor Tiago Rodrigues, first the translation in english and then the original text in portuguese]



By/por Tiago Rodrigues


I always heard sermons, songs, watched videos and preached for so many times that we are the generation that will see Jesus returning. I think its beautiful, motivator,  but, at the same time, each day this statement seems less and less faithful to the reality and almost paralyzing.

terça-feira, 16 de agosto de 2016

The most blessed person I met in Greece

[Nessas férias tive a oportunidade de voltar para o acampamento na Grécia que ajudei a reformar nas férias anteriores em missão pelo NUMCI/UNASP. Lá fiz amigos muito queridos e um deles foi um grade companheiro que me ensinou muito de inglês, traduziu minhas mensagens para o grego e em apenas 15 dias pudemos desenvolver uma amizade como se nos conhecêssemos há anos. Pedi para que ele compartilhasse sua experiência com o acampamento de Kalamos. Segue o texto original em inglês e a tradução em português ao fim. - Alex Galindo]

[Last vacation I had the opportunity to come back to the greek camp that I helped on the maintenance on my previous vacation. There I made a lot of lovely friends and one of them became a great fellow that taught me a lot of English and in just 15 days we developed a friendship as we were friends from many years ago. I asked him to share his experiences on Kalamos Camp. First the original text in English and following the translation in Portuguese. Alex Galindo]







By/Por Costa J. Gabriel



Let me say very fast few things about me. My name is Constantine, I’m a triplet raised only by my mom and as a pure Greek I was Christian orthodox. That can't say much to you but my country is a Christian orthodox one and although everybody is raised as one, being baptized as babys etc. Not many care until they get old and death reaches to their doorsteps, well, that's the sad truth.

I was about fourteen when I actually got to meet Christ when a friend of mine invited me to her Seventh Day Adventist church. Of course it was confusing and overwhelming feeling for a young child raised pretty far away from church and I can say that it wasn't until very much later that I actually felt the connection. The summer came a years after I started visiting this church and it was time for summer camp. The real reason I wanted to go was the vacation of course but it turned out to so many more.

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

A loucura na Albânia na loucura do evangelho

[Meu amigo e companheiro de missão na Albânia, Lucas Muletaler topou compartilhar sua experiência. Se você foi pra missão essas férias ou está em missão, compartilhe conosco!]


Por Lucas Muletaler

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Como vim parar na Dinamarca





Semana passada, dia 29 de Junho eu cheguei na Dinamarca. Deixei minhas coisas lá e vim pra missão Albânia no dia seguinte. Muitos então me perguntaram como eu fui parar lá. E, por mais estranho que isso possa parecer, ir para a Dinamarca não estava nos meus planos. Mas eu vejo em todas as coisas a providência e a Graça de Deus.

Em agosto do ano passado, um pouco antes de irmos para o evangelismo do terceiro ano, um querido amigo, o Lucas Davis, chegou na mesa onde costumávamos almoçar todos os dias com uma notícia:
“Alex, eu fiquei sabendo de uma vaga no adventist volunteers que é a sua cara! É pra ser prepa na Nova Zelândia! Você iria amar lá!” 

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Reformulações na formação teológica Adventista



Tive o prazer de ter aulas com o professor Adolfo Suarez. Um excelente professor que certamente fará um ótimo trabalho como reitor do SALT. Os seminários estão se modernizando e já estou podendo usufruir um pouco disso (estou cursando juntamente pedagogia). É de se lamentar que essas mudanças demoraram tanto. Mas ficamos felizes que vieram e ainda mais virão.

Outra excelente notícia é que estão repensando sobre a prática dos estágios. Creio que boas novidades virão para a formação de nossos futuros pastores. 

Que Deus abençoe e guie a nossa liderança!

UNASP e UAP


Por Rodrigo Sampaio

Já faz alguns dias que aqui foi postado um texto comparando o curso do UNASP com o do IAENE. Mas agora com o projeto de unificar ao máximo as grades em todas as Faculdades de Teologia pertencentes ao SALT (Seminário Adventista Latinoamericano de Teologia) seria interessante analisar também como funcionam algumas das outras faculdades irmãs de teologia pela América do Sul.


Neste momento eu estou no segundo ano de Teologia, sou estudante do UNASP, mas atualmente estou passando 1 semestre em um intercâmbio de Teologia na UAP (Universidad Adventista del Plata - ARG). Meu objetivo ao escrever esse texto é:

1 - De uma maneira bem simples informar como a Faculdade de Teologia aqui funciona, desde sua estrutura física até as grades curriculares; 
2 - Contar um pouco sobre o ambiente da Universidade em geral e não apenas da bolha dos teologandos, até mesmo porque não é só teoloboy que lê o blog;
3 - Compartilhar como funciona esse intercâmbio, que estou fazendo para que você também possa ter a oportunidade de vir;
4 - E responder qualquer coisa depois caso eu não tire todas as suas dúvidas e curiosidades sobre essa experiência.





1 - ESTRUTURA FÍSICA

terça-feira, 10 de maio de 2016

Teologia: IAENE e UNASP


[Minha queria amiga Angélica começou a namorar um rapaz que eu até então desconhecia. Ele, obviamente começou a sentar em nossa mesa e ao saber que ele veio de transferência do IAENE pedi que ele escrevesse sobre a experiência dele lá e fizesse um contraste com o UNASPec. Ele gentilmente aceitou, e é o texto que está a seguir.

Curioso é que na semana seguinte em que ele escreveu, a diretoria do SALT da Divisão Sul Americana veio para o UNASP para uma reunião com professores e alunos para debater propostas para o curso. Obviamente uma das questões centrais foi o tal chamado que está cada vez mais escasso e, obviamente o excesso de vagas de tantos seminários tanto no Brasil quando na América latina num momento em que há carência de vagas. Um dos pontos mencionados foi a relativa menor procura da associações por formandos do UNASP em relação aos demais seminários brasileiros. Por que?

É de conhecimento geral que existe um estigma que o UNASP forma teólogos e o IAENE forma pastores. Dizem que isso começou a se disseminar na década de 80 quando muitos dos estudantes usavam o IAENE como porta de entrada pro seminário (já que a concorrência era menor) e depois transferiam pro UNASP (então IAE) quando podiam. O fato é que essa ideia de que o IAENE é mais voltado para formar pastores perdura até hoje como naturalmente transpareceu no texto que meu amigo gentilmente escreveu. Convido vocês a lerem esse texto bem elaborado pelo meu amigo Uriel.
Alex]







Por Uriel Dos Santos

Muitos acham que por se tratar de um curso que é administrado pela IASD a teologia é igual em todos os campos. Porem não é assim. A começar pelas localizações geográficas que são bem distantes uma da outra e também não vivem realidades parecidas vemos que certas matérias são especificas pra cada região e suas pessoas.

História:

sábado, 16 de abril de 2016

Duas abóboras em cada braço.



Meus amigos, peço desculpas pela longa ausência. Não é sem motivo. Desde que se tornou permitido que alunos de teologia fizessem um segundo curso ao mesmo tempo estou cursando no período da noite o curso de pedagogia. Como já relatei aqui outra vezes, sempre foi meu desejo seguir na área de educação e agora estou a fazer os dois cursos, o último ano da teologia e o primeiro da pedagogia. Não sei se concluirei a pedagogia aqui mesmo no UNASP. É mais provável que eu termine num outro momento (ou, se Deus permitir, seguir para um mestrado), mas aproveitarei o ano que me resta aqui (e o desconto de 70% do segundo curso) para fazer tudo o que me for possível.

Além disso, no último ano de teologia para a conclusão de curso os estudantes tem as opções de fazer uma monografia ou um portfólio com os relatos sobre a experiência do estágio pastoral de quarto ano. A exigência para se fazer monografia é que você tenha uma media geral acima de 8 e encontre um professor disposto a te orientar.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Collonges - A minha experiência no seminário Adventista da França

Parte 1






O meu nome é Cristiano Sequeira. Sou natural de Portugal e tenho 26 anos de idade. O Alex estendeu-me o amável convite de partilhar convosco a minha experiência enquanto estudante de teologia no Seminário Adventista do Sétimo Dia de França, na vila de Collonges-sous-Salève, la Faculté Adventiste du Salève.

sábado, 23 de janeiro de 2016

Porque vim para a Grécia





Bom, como alguns amigos queridos pediram, estou escrevendo sobre a missão Grécia. Não sei se vou conseguir escrever todos os dias. Segunda feira começa o trabalho mais intenso.

Antes de escrever sobre a missão em si, quero compartilhar o que me motivou a vir aqui:

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Como realizei um sonho muitos anos antes do que eu podia imaginar

Por Alex Galindo



Sabe aqueles sonhos que a gente tem que pensa que um dia, quem sabe, talvez possa realizar?

No terceiro ano de Teologia, os alunos do UNASP são enviados para fazer o estágio de Evangelismo. Nós temos um mês de aulas intensivas teóricas e depois nos próximos três meses vamos para o estágio. Nesse estágio nós fazemos series evangelísticas de colheita. Cada aluno é enviado para um lugar do Brasil (geralmente no estado de São Paulo).

A forma como eles escolhem o destino de cada um não é muito precisa. Os casados geralmente ficam mais próximos, para poderem visitar sua família e os solteiros tem um campo de possibilidades mais abrangente. E nessa, por alguma razão aleatória eu fui escolhido para o distrito do famoso Jardim Ângela (Grupo Jd Kagohara) na zona sul de São Paulo.