terça-feira, 14 de julho de 2015

O sentimento de estar na conferência geral




Por Camila Freire


Desde ontem, dia 02 de julho, a Igreja Adventista do Sétimo Dia está em festa. A 60a Conferência Geral acontece na cidade texana de San Antônio. É um evento peculiar, gigantesco e inspirador.
Ando pela cidade como se fosse o campus de um dos nossos colégios. Os habitantes da cidade se espantam, positivamente, com a quantidade simplicidade e simpatia desses tais adventistas que encheram os hotéis, mercados e ruas. Ontem, a porta-voz da prefeita disse que os restaurantes ate acrescentaram no cardápio queisadillas de tofu para atender esses visitantes especiais.

Por onde vou ouço línguas diferentes e vejo roupas e comportamentos interessantíssimos. Como quando tirei uma foto para um grupo de indianas vestidas com sua roupa tradicional e ao perguntar se a foto estava boa a resposta foi uma balançada de cabeça para os lados com um sorriso. Pensei que tinham dito que a foto tinha ficado "mais ou menos", mas era o jeito "alegre" delas agradecerem. Sai achando graça da simpatia das moças e da forma diferente como cada um mostra a sua.

Uma das coisas mais lindas de presenciar foi o louvor do culto da primeira noite. Cantamos com vigor o hino " oh! Que esperança". Cada um na sua língua. Aquele lugar tremeu. Me arrepiei e os olhos se encheram d'agua. É, pra mim, a maior representação do quão diferentes somos por fora, porém quão iguais somos nas nossas convicções e esperança. É então que sentimos a união da igreja e o propósito que nos traz até aqui.