sexta-feira, 12 de junho de 2015

Sobre não querer namorar um pastor




A Albani é uma amiga muito querida. A gente sempre brincou com ela que ela tem perfil ministerial (apaixonada por Jesus, boa moça, ama missões, etc). Eu, como várias vezes fiz, “profetizei” que ela ia namorar um pastor. E ela sempre dizia, “eu não, tô fora!”. Bom, dito e feito, profetizado e cumprido, o pastor Kevin Choque a conheceu, se encantou, e como previsto ela começou a namorar um pastor.


Então, pedi pra ela escrever pro teololife. Ela não queria. Eu insisti:

-Conta exatamente a sua história, como você dizia que jamais namoraria um pastor e como você está feliz hoje.

Eu não entendi o porquê de ela não querer contar de algo que é verdade. 
Perguntei:

-Não é verdade que você dizia que nunca namoraria um pastor?
-É Verdade!

-E não é verdade que você está muito feliz hoje?

Ela respondeu novamente:
-É verdade...

E complementou:
-Mas hoje eu estou feliz porque eu namoro o Kevin, e não porque eu namoro o pastor Kevin Choque.


Namorar um pastor (ou futuro pastor) tem uma série de implicações e questões em perspectiva. Mas acima de uma profissão e carreira, existe uma pessoa, uma história, paixões em comum, interesses, sorrisos, que fazem que a carreira seja só uma característica a mais do amado.


P.S ao mostrar o texto pra Albani ela disse: “O que importa é sentir o choquinho” haha