quarta-feira, 13 de maio de 2015

Universidad Adventista Del Plata - A Faculdade de Teologia da Argentina vista por um Brasileiro





Olá meu nome é Samuel, tenho 21 anos, sou de São Paulo Capital, e faço teologia na Universidad Adventista Del Plata (UAP) na Argentina.


Confesso que não tenho o perfil padrão da maioria dos estudantes de teologia. Gosto de coisas que envolvam comunicação, skate, tendências de cultura (moda, tribos, arte, esporte). Isso se expressa no meu estilo de falar, vestir e enxergar o mundo. 
Apesar do meu jeito, sempre senti um chamado para ser pastor, ao ponto de não me ver fazendo outra coisa além do ministério pastoral.

E mesmo sentindo o chamado a fazer teologia, nunca imaginei que faria o curso fora do Brasil, muito menos na UAP.

Tudo começou quando não passei na segunda tentativa do vestibular do UNASP, (estou começando a entender o porquê), então desisti de fazer teologia e decidi continuar a graduação na qual estava cursando (marketing). Só que tive um insight e lembrei que tinha alguns amigos que fazem medicina na UAP. E como eu sabia que tinha o curso de teologia por lá, e que não tivesse prova para ingressar resolvi pedir algumas informações.

Depois de algumas conversas, orações e coragem, me convenci que não custava largar tudo e ir morar na Argentina, já que mesmo não tendo sido aprovado no Brasil, eu não conseguia dormir direito com o sonho de fazer teologia vindo a minha mente todos os dias.


As aulas começam no início de março aqui na Argentina. Então cheguei aqui no dia 13 de março deste ano. A universidade fica numa cidade chamada Libertador San Martin, na província de Entre Rios. Libertador é uma vila bem tranquila e aconchegante, o campus fica no centro da vila. Como em qualquer situação se adaptar se torna questão de tempo. Demorei algumas semanas para me adaptar ao idioma e compreender cem por cento das aulas, já que aqui existe um forte sotaque Argentino. Também demorei um pouco para me adaptar a água que é bem mais salgada, devido ao nível alto de sódio comparado a água no Brasil. Mas nada que não seja adaptável.

Confesso que já fui com um certo pré-conceito da universidade, pelo fato da tamanha “facilidade” de ingressar, achei que o curso não fosse tão bom quanto no Brasil.
Mas já nos primeiros dias comecei a mudar meu conceito e perceber que o nível acadêmico é altíssimo.

Em relação ao curso, na UAP desde o primeiro semestre fazemos atividades práticas e obrigatórias, como ter que fazer o curso de guia maior investido no clube de desbravadores, todos os sábados acompanhar uma classe de escola sabatina das crianças, e ter participação ativa no clube de jovens e sociedade JA da universidade.
O curso tem uma grade curricular de 10 quadrimestres (5anos), sendo que 4 anos são presenciais (com um quadrimestre fazendo evangelismo), e no quinto ano o aluno tem residência pastoral no primeiro quadrimestre, e no segundo temos 3 opções: continuar a residência pastoral (em algum campo como pastor associado, capelão, obreiro etc.), exame integrador (prova aplicada pela universidade), tese (para quem tem a intenção de continuar estudando e defender uma tese).

No curso tenho um intercâmbio cultural amplo, na minha sala tenho colegas de muitos países como: Argentina, Brasil, Estados Unidos, Rússia, Haiti, Paraguai, Uruguai, Chile, Peru, Bolívia e Republica dominicana.

A presença Brasileira também é forte, somos 15 alunos representando as cores verde e amarela. A faculdade inclui uma matéria especial de espanhol para alunos ingressantes Brasileiros.

As matérias que mais gosto de estudar aqui são: Missão da igreja, onde tenho uma ampla abordagem do que é missão, quais são os métodos mais eficazes de evangelismo, e como ser um pastor visionário em um mundo tão dinâmico, e também gosto muito de fontes bíblicas, onde aprendemos como ter uma visão sistemática do texto bíblico.
Me sinto muito à vontade com a forma em que os professores tratam os alunos desde o primeiro ano de curso. Apesar de reconhecer que ainda temos muito a aprender, e continuaremos aprendendo para o resto de nossas vidas, eles têm um respeito e carinho muito grande pelos alunos, na qual nos chamam e já nos tratam como pastores, indicando que o ministério começou desde o momento em que decidimos vir para cá.

Eu gosto muito da atmosfera cristã que existe na UAP. Aqui existe diversos grupos missioneiros que saem todos os sábados para fazer atividades nas comunidades, hospitais, asilos etc. O senso de missão da universidade é muito forte entre os alunos de todas as carreiras.

Este semestre fundei com amigos de outros cursos um pequeno grupo chamado UBUNTU, na qual muitos brasileiros se reúnem uma vez por semana neste novo projeto que tem sido uma benção. Estou muito feliz de me sentir ativo apesar de estar longe de casa, em outro país, já sinto que a Argentina se tornou minha segunda casa.

O custo aqui na Argentina é muito similar com o do Brasil. Depende muito do câmbio do Real (moeda brasileira) e do Peso argentino. Com a cotação média que existe entre as moedas a mensalidade do curso de teologia fica em média 2 mil reais por mês. Sendo que todo semestre eles fazem reajustes, fazendo com que talvez ano que vem a mensalidade já seja mais alta que no Brasil.


É difícil alunos Brasileiros terem planos de bolsa aqui na UAP. Não conheço nenhum Brasileiro que seja bolsista, já que eles dão prioridade a alunos Argentinos.

Acredito que estudar em outro país tenha suas dificuldades, mas tem muito mais pontos positivos. Ainda mais em um lugar onde é representado por alunos de mais de 50 países.

Estudar aqui tem me ajudado a ter uma visão globalizada do ministério. Hoje não me limito a querer trabalhar só no Brasil, mas ir aonde Deus mandar em qualquer lugar do mundo. 

Adicionar legenda